Jovens cientistas criam campanhas para divulgar suas pesquisas

Uma campanhas criadas por alunos e pesquisadores da USP querem dar visibilidade às pesquisas desenvolvidas na Universidade e mostrar o papel essencial do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para a realização desses estudos: #1MinutodeCiência.

#1MinutodeCiência
A hashtag #1MinutodeCiência está circulando no Instagram, Facebook e Twitter

A iniciativa da campanha #1MinutodeCiência surgiu frente aos cortes de verbas destinadas ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), as duas mais importantes agências nacionais de fomento à ciência e à tecnologia no Brasil.

A campanha tem como objetivo principal colocar “rosto” nas bolsas de pós-graduação, compartilhar as pesquisas realizadas com o público em geral, especialmente no sentido de ressaltar as importâncias práticas e teóricas do desenvolvimento de cada um desses trabalhos, que só são possíveis com o apoio institucional, financeiro e logístico do CNPq e da Capes. “Pesquisas e pesquisadores estão criticamente ameaçados pelas novas políticas ditas de contingenciamento de recursos”, destaca a bióloga Natália de Souza Albuquerque, mestre e doutora pelo Instituto de Psicologia (IP) da USP.

Em seu mestrado, Natália analisou o comportamento de cães e constatou que esses animais conseguem, além de diferenciar, reconhecer expressões emocionais de raiva e alegria tanto em seres humanos como em outros cães. No doutorado, a bióloga constatou que, quando os cães percebem algo negativo que afeta o próprio estado emocional deles (possivelmente também de forma negativa), eles apresentam um sinal visual, que é o ato de lamber a própria boca.

#1MinutodeCiência
#1MinutodeCiência

As duas pesquisas renderam outros trabalhos em parcerias com universidades do exterior e pesquisadores brasileiros. Um exemplo é o artigo Goats prefer positive human emotional facial expressions publicado na prestigiada revista científica Royal Society Open Science. O artigo sugere que cabras são capazes de discriminar entre expressões humanas alegres e de raiva, mostrando preferência pelas primeiras. Leia matéria completa aqui.

De acordo com Natália, “alunos de graduação, de mestrado e doutorado de todas as áreas das Ciências Biológicas, Humanas e Exatas, outros pesquisadores, docentes e técnicos sofrerão enormemente com os cortes. Mas os impactos negativos não estão limitados às paredes da Universidade, mas atingem também todas as esferas da sociedade, que perderão recursos extremamente valiosos que garantem o progresso e o desenvolvimento do País”.

A bióloga explica que “com a hahstag #1MinutodeCiência, estamos fazendo um apelo à sociedade e um convite a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, são ou foram beneficiadas pelas verbas destinadas à pesquisa no País, especialmente aquelas provenientes das agências CNPq e Capes. A campanha se iniciou no Instituto de Psicologia da USP, mas a luta é de todos. Estamos de luto, mas é falando que faremos uma mudança”.

Comissão de acolhimento

Os pesquisadores responsáveis pela campanha criaram uma comissão de acolhimento, que está dedicada a apoiar os alunos que sofrerão mais diretamente com os cortes. Nesse sentido, a comissão se organiza em três vertentes principais: divulgação, auxílio à moradia e questões judiciais.

Os objetivos da comissão de acolhimento são:
1) divulgar as pesquisas realizadas por alunos e pesquisadores de todo o País, trazendo especial atenção para os prejuízos que virão com os cortes;
2) buscar e criar alternativas para os alunos que ficarão sem condições de moradia após os cortes, para que não fiquem desamparados;
3) buscar e criar mecanismos de proteção legal para os alunos que perderão suas bolsas (quebra de contrato). De forma especial, a comissão pretende unir departamentos, institutos, universidades de todo o Brasil e existir como um espaço de resistência e de acolhimento. Ninguém deve se sentir sozinho em um momento tão crítico.

Pesquisadores interessados devem entrar em contato com a comissão organizadora pelo e-mail 1minutodeciencia@gmail.com

Fonte: https://jornal.usp.br/ciencias/cientistas-criam-campanhas-para-divulgar-a-producao-cientifica-da-usp/?fbclid=IwAR2mvKi32ZXlPgwCmWP4eFtKMV5cfj5WRBgifQKKpPHB6YVP-HH3swqv5NQ

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.