O que é alergia?

Clique aqui para ouvir o texto

Uma alergia é a reação exagerada do corpo humano a antígenos 1. Antígenos que provocam uma reação alérgica são chamados de alérgenos. Algumas alergias são comuns. Na maioria dos casos, uma alergia causa sintomas relativamente leves, como espirros ao respirar poeira. Uma reação alérgica rara e grave pode desencadear um choque anafilático, que ocasionalmente leva à morte. A morte por picadas de abelha é um exemplo deste tipo grave de reação alérgica.

alergia

As reações alérgicas do tipo I que incluem febre do feno, alergia a veneno de inseto e asma, envolvem a classe de anticorpos conhecida como imunoglobulina E (IgE). As moléculas de IgE estão ligadas aos mastócitos 2, que são encontrados no tecido conjuntivo frouxo 3. Quando antígenos suficientes se ligam aos anticorpos IgE, os mastócitos liberam histamina, heparina e produzem outros agentes, como os leucotrienos. Esses produtos químicos potentes dilatam os vasos sanguíneos e contraem as passagens de ar dos brônquios. A histamina é responsável pelos sintomas visíveis de um ataque alérgico, como coriza, respiração ofegante, espirros, inchaço entre outros. A predisposição de uma pessoa às reações alérgicas do tipo I é determinada geneticamente. A melhor proteção contra essas alergias é evitar a substância ofensiva. Os medicamentos anti-histamínicos são frequentemente usados ​​para dar alívio temporário. Outra medida útil é a dessensibilização, na qual quantidades crescentes do antígeno são injetados durante um período de tempo até que o paciente não experimente mais uma resposta alérgica.

As reações alérgicas do tipo II são raras e levam de 2 a 24 horas para se desenvolver. Esses tipos de reações ocorrem quando os anticorpos IgG e IgM se ligam às moléculas da superfície celular do próprio paciente, formando complexos que ativam o sistema complemento 4. Isso, por sua vez, leva à opsonização 5, aglutinação de hemácias (um tipo de célula do sangue), lise celular 6 e morte. O tratamento geralmente envolve agentes anti-inflamatórios e corticosteroides. Alguns exemplos de reações do tipo II incluem: eritroblastose fetal, síndrome de Goodpasture e anemias autoimunes.

Em uma reação do tipo III, os anticorpos IgG e IgM se depositam nas paredes dos pequenos vasos sanguíneos. Então eles ativam o sistema complemento, que produz inflamação e danos vasculares. Exemplos de reações alérgicas do tipo III incluem lúpus eritematoso sistêmico (LES), doença do soro e artrite reativa. Ao contrário das reações do tipo I, as reações do tipo II e III não dependem de uma predisposição genética.

Ao contrário dos outros tipos de reações alérgicas, as reações do tipo IV são mediadas por células e independentes de anticorpos. Eles são o segundo tipo mais comum de reação alérgica e geralmente levam 2 ou mais dias para se desenvolver. Esses tipos de reações são causados ​​pela superestimulação de células T e monócitos / macrófagos (um tipo de glóbulo branco) que levam à liberação de citocinas (uma categoria de proteínas) que causam inflamação, morte celular e danos aos tecidos. Em geral, essas reações são facilmente resolvidas evitando-se o gatilho e usando corticosteroides tópicos. Uma reação alérgica do tipo IV comum é a dermatite de contato, um distúrbio de pele.

Dicionário

1- Antígeno é uma substância capaz de estimular uma resposta imunológica.

2- Mastócito é um tipo de célula.

3- O tecido conjuntivo frouxo é o tipo mais comum de tecido conjuntivo em vertebrados. Ele mantém os órgãos no lugar e anexa o tecido epitelial a outros tecidos.

4- O sistema complemento é uma parte do sistema imunológico que aumenta (complementa) a capacidade dos anticorpos e células fagocíticas de eliminar micróbios e células danificadas de um organismo, promover inflamação e atacar a membrana celular do patógeno.

5- Opsonização é um processo imunológico que usa opsoninas para marcar patógenos estranhos para eliminação pelos fagócitos (fagócito é um tipo de glóbulo branco).

6- A lise celular ou ruptura celular é um método no qual a fronteira externa ou membrana celular é quebrada ou destruída para liberar materiais, como DNA, RNA, proteína ou organelas de uma célula.

Clique no vídeo para ouvir o texto:

Respondemos o que causa a alergia do tipo I de forma mais divertida aqui: O que causa a alergia do tipo I? Cells at Work – ciência na cultura pop | Ciência do amanhã (cienciadoamanha.com)

Fontes: alergia – Acadêmicos | Britannica Kids | Enciclopédia

Uma introdução à imunologia e imunopatologia (nih.gov)

allergy – Kids | Britannica Kids | Homework Help

Alergias – Sintomas – NHS (www.nhs.uk)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.