Nibiru, Vulcano e outros planetas misteriosos

Anúncios

BOINC

Use o tempo livre do seu computador (Windows, Mac, Linux ou Android) para fazer pesquisa científica. Se você escolhe um ou vários projetos para participar, sua contribuição terá um impacto muito real sobre o qual nos ajudará a fazer descobertas. Quase um milhão de voluntários dedicados e seu hardware estão fazendo uma grande diferença para a ciência, permitindo projetos que seriam difíceis sem poder de computação maciço.

O BOINC (Berkeley Open Infrastructure for Network Computing) é usado por muitos projetos, que têm requisitos diferentes, como o tamanho da memória e VirtualBox, que podem ser configurados para ser executado somente quando o computador não está em uso ou para executar com a menor prioridade enquanto está em uso. Eles também podem ser cancelados e suspensos. Alguns são baseados em universidades e laboratórios de pesquisa, outros são administrados por grupos ou indivíduos particulares.

Por que precisa do VirtualBox em alguns projetos?

VirtualBox é uma ferramenta de virtualização de código aberto e livre que permite a criação de máquinas virtuais dentro do seu computador. Nessas máquinas virtuais, você pode executar qualquer sistema operacional independentemente do sistema operacional instalado no hardware. 

Alguns de nossos projetos executam pacotes de software muito grandes com dependências complexas que não podem ser facilmente portadas para todos os sistemas operacionais dos voluntários. Por esse motivo, usamos a virtualização – criando máquinas virtuais para executar dentro do VirtualBox, o que nos permite executar códigos complexos independentemente da sua plataforma.

Além disso, usar a virtualização adiciona uma camada extra de segurança – se algo der errado no código, isso não afetará seu computador.

Por que precisamos de sua ajuda?

A maioria dos projetos sempre podem beneficiar de mais poder de computação, acelerar a análise ou fazer previsões mais detalhadas, podendo ampliar a pesquisa dos cientistas. Computadores e celulares podem ser conectados para formar o equivalente a um supercomputador virtual único, enorme e super-poderoso.

O que é computação voluntária?

Computação voluntária é uma forma de ciência cidadã, é um tipo de computação distribuída em que os proprietários de computadores podem doar seus recursos de computação (poder de processamento, armazenamento e conexão à Internet) para um ou mais projetos de pesquisa. Na computação voluntária, um problema é dividido em muitas tarefas, cada uma das quais é resolvida por um ou mais computadores ao mesmo tempo.


Link para download: https://boinc.berkeley.edu

Google cria experiência de visitar a Estação Espacial Internacional

A ideia é que essa oportunidade encoraje as pessoas a explorarem mais o espaço:

https://www.google.com/maps/space/iss/@29.5602853,-95.0853914,2a,75y,223h,93t/data=!3m6!1e1!3m4!1szChzPIAn4RIAAAQvxgbyEg!2e0!7i10000!8i5000

Outro detalhe interessante são as curiosidades e dados técnicos para que os visitantes conheçam mais a respeito da ISS enquanto visualizam o ambiente em que os astronautas trabalham e fazem seus estudos:

https://www.google.com/streetview/#international-space-station/

Resultado de imagem para street view ISS

Resultado de imagem para street view ISS

Voyagers

As Voyagers são duas sondas “gêmeas”. A Voyager 2 foi lançada em 20 de agosto de 1977 e a Voyager 1 em 5 de setembro de 1977, as duas a bordo do foguete Titan-Centaur.

Voyager Rocket Launch

A trajetória das duas Voyagers foram calculadas para tirar vantagem de um alinhamento planetário. Na missão foi usado a assistência gravitacional que é a utilização da gravidade de um planeta ou outro corpo celeste para mudar a trajetória e velocidade de um objeto.

O que descobrimos sobre planetas?

A Voyager 1 chegou em Júpiter em janeiro de 1979 e a Voyager 2 em abril.

Agora entendemos que os processos físicos, geológicos e atmosféricos importantes continuam no planeta, nos satélites e no campo magnético.

A Voyager 1 chegou em Saturno em novembro de 1980 e a Voyager 2 em agosto de 1981.

A atmosfera é quase inteiramente feita de hidrogênio e hélio. Foi medido ventos de 1800 Km/h.

A Voyager 2 chegou em Urano em janeiro de 1986.

As câmeras detectaram 11 luas anteriormente invisíveis. A sonda também encontrou um campo magnético em Urano.

A Voyager 2 chegou em Netuno em junho de 1989.

Foi descoberto anéis em Netuno e 6 novas luas.

Essa imagem é a primeira foto do sistema solar, chamada “Pálido Ponto Azul”. A Voyager 1 tirou essa foto a uma distância de mais ou menos 6.437.376.000 quilômetros da Terra.

Em agosto de 2012, a Voyager 1 ultrapassou a heliopausa e se tornou a primeira sonda interestelar a estudar suas propriedades, mas só foi confirmado em abril de 2013 (heliopausa é uma lugar ao redor do sistema solar onde o vento solar é parado pelo meio interestelar, pois a pressão feita pelo vento solar não é forte o suficiente para repelir o vento interestelar).

A pedido do Carl Sagan, a NASA colocou uma mensagem a bordo da Voyager 1 e 2, uma mensagem na garrafa atirada ao oceano cósmico, para contar uma história do nosso mundo para extraterrestres. A mensagem é um disco de cobre banhado a ouro contendo sons como vento, trovões, pássaros, baleias, até músicas de diferentes culturas e eras, tem saudações orais de pessoas em cinquenta e cinco línguas, junto com 115 imagens selecionadas para retratar a diversidade da vida e cultura.

“Destinadas a vagar inertes entre as estrelas, elas resistirão mais tempo que a própria Terra, uma lembrança perene de uma espécie que se recusa a ser esquecida em um universo em constante transformação.”

-Mensageiro Sideral

Para ver o que tem no disco de ouro: https://voyager.jpl.nasa.gov/golden-record/whats-on-the-record/

Instrumentos

Subsistema de Raios Cósmicos: detecta partículas muito energéticas. Partículas muito energéticas podem ser encontradas nos intensos campos de radiação que cercam alguns planetas, como Júpiter.

Antena: transmite dados para a Terra em duas frequências. Uma com cerca de 8,4 gigahertz, é o canal de banda X e contém dados de ciência e engenharia. Para comparação, a frequência de rádio FM é em cerca de 100 megahertz. A outra frequência, cerca de 2,3 gigahertz, está na banda S, e contém apenas dados de engenharia sobre a saúde e o estado da nave.

Subsistema de Ciência da Imagem: uma câmera capaz de tirar fotos e filmar.

Espectrômetro e radiômetro de interferômetro infravermelho (IRIS): São 3 instrumentos separados. Primeiro, é um termômetro muito sofisticado. Ele pode determinar a distribuição da energia térmica que um organismo está emitindo, permitindo aos cientistas determinar a temperatura desse corpo ou substância. Segundo, é um dispositivo que pode determinar quando certos tipos de elementos ou compostos estão presentes em uma atmosfera ou em uma superfície. Terceiro, ele usa um radiômetro separado para medir a quantidade total de luz solar refletida por um corpo nas frequências ultravioleta, visível e infravermelha.

LECP: consegue medir um espectro muito grande de energia de partículas.

Magnetômetro: seu principal trabalho é medir as mudanças no campo magnético do Sol com distância e tempo, para determinar se cada um dos planetas externos tem um campo magnético, e como as luas e os anéis dos planetas externos interagem com esses campos magnéticos.

Alvo de Calibração Óptica: identifica a cor e o brilho, sendo apontado para os outros equipamentos para que estes apontem ao alvo a ser calibrado.

Subsistema de Fotopolarimetria: um telescópio de 20 centímetros, com muitos filtros e analisador de polaridade. Ele cobre 8 comprimentos de onda.

Planetário Rádio Astrônomo (PRA) e Subsistema de Onda de Plasma(PWS): dois experimentos separados, duas antenas longas em forma de V.

Ciência do plasma (PLS): procura as partículas de baixa energia no plasma. Também tem a capacidade de procurar partículas movendo-se a velocidades particulares e, em menor extensão, determinar a direção de onde elas vieram.

Geradores Termoelétricos de Radioisótopos (RTG): são 3 geradores termoelétricos de radioisótopos usando plutônio-238 (libera calor através de materiais radioativos, gerando eletricidade para sonda).

Espectrômetro Ultravioleta (UVS): Ele determina quando certos átomos estão presentes, ou quando certos processos físicos estão acontecendo. O instrumento procura cores específicas da luz ultravioleta que certos elementos e compostos são conhecidos por emitir.

Voyager Spacecraft

Fontes:

https://voyager.jpl.nasa.gov/mission/spacecraft/instruments/

https://voyager.jpl.nasa.gov/galleries/images-voyager-took/

https://voyager.jpl.nasa.gov/golden-record/

https://voyager.jpl.nasa.gov/frequently-asked-questions/fast-facts/

https://www.youtube.com/watch?v=KOuxhjLTsdo&t=580s

https://www.youtube.com/watch?v=tbA3BNaionI&t=1166s

https://www.youtube.com/watch?v=IAVHhZqQxVg&t=154s