Aquecimento Global

Aquecimento global é o aumento da temperatura média da Terra, causado pelos gases que aumentam o efeito estufa. O aumento da temperatura vem ocorrendo desde meados do século XIX e deverá continuar enquanto as emissões continuarem elevadas. Os principais gases produtores do efeito estufa são o vapor d’água (H2O), gás carbônico (CO2), metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O).

O que é o Efeito Estufa?

É um mecanismo natural da Terra para manter a temperatura do planeta, sem ela a temperatura do planeta seria muito fria, mas com gás carbônico, vapor d’água, metano e óxido nitroso demais, esquenta muito.

O desmatamento também colabora para este processo, que teria o papel de controlar a umidade.

Além disso, poluição das águas também é um fator relacionado com o aquecimento global. No caso dos oceanos, existem seres vivos responsáveis pela absorção de gás carbônico e emissão de oxigênio: os fitoplânctons e as algas marinhas. Portanto, a destruição de seus habitat também pode interferir diretamente na dinâmica atmosférica global.

O principal órgão responsável pela dos estudos relacionados com o aquecimento global é o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC ou Intergovernmental Panel on Climate Change).

Para o IPCC, o problema em questão não deve sequer ser motivo de discussão em termos de sua existência ou não, pois, segundo ele, é mais do que comprovada a série de mudanças climáticas ocorridas nos últimos tempos e a participação do ser humano nesse processo.

Diz Brasil ESCOLA

As mudanças causadas pelo aquecimento global nos sistemas biológicos, químicos e físicos do planeta são muitas, algumas são de longa duração e outras são irreversíveis, e já estão provocando uma grande redistribuição geográfica da biodiversidade, diminuindo número de espécies, modificando e destruindo ecossistemas, e gerando por consequência problemas sérios para a produção de alimentos, o suprimento de água e a produção de bens diversos que dependem da estabilidade do clima.

Em 1979 foi descoberto que a concentração de ozônio estava se tornando rarefeita sobre a Antártida. Em 1983, pesquisadores encontraram um buraco na camada de ozônio, e que a principal causa era a reação química do gás CFC (clorofluorocarboneto ou clorofluorcarbono) com o ozônio.

Em 1987 vários países assinaram um acordo de redução do uso do CFC, usado como fluido de refrigeração, como solvente, nas embalagens de aerossóis e nas espumas plásticas, acordo que ficou conhecido como “Protocolo de Montreal”. Um relatório publicado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) e pelo programa do meio ambiente das Nações Unidas, a camada de ozônio deve se recuperar até o ano 2050, se os países poluidores respeitarem o Protocolo de Montreal.

A ONU e diversos países organizaram conferências para discutir e encaminhar medidas, para trabalhar na diminuição da emissão de gases por parte das nações. O Protocolo de Quioto (Kyoto) foi firmado com essa finalidade na Convenção da ONU sobre Mudanças Climáticas de 1997. Esse acordo gerou tensões porque alguns países, como os Estados Unidos, não aceitaram bem a meta de redução dizendo que isso diminuir sua economia.

Em 2007 ocorreu a Conferência de Bali, no qual foi criado um plano que substituiu o Protocolo de Quioto em 2012.

Em 2009 aconteceu o grande encontro climático de Copenhague. A conferência não atende às expectativas, mas termina em um acordo político negociado que envolve pela primeira vez China e Estados Unidos.

O texto estabelece como objetivo limitar a temperatura do planeta em 2º graus com relação à era pré-industrial, mas falta clareza quanto aos meios de realizar isto. Ele também prevê uma ajuda de 100 bilhões de dólares ao ano até 2020 para apoiar as políticas climáticas dos países mais pobres.

Em 2015 ouve o Acordo de París, com a ideia de reforçar a capacidade dos países para lidar com os impactos do aquecimento global. Clique aqui para saber mais.


Fontes:
https://www.nytimes.com/2017/01/18/science/earth-highest-temperature-record.html
https://www.climate.gov/news-features/event-tracker/not-so-rainy-season-drought-southern-africa-january-2016
https://www.washingtonpost.com/news/energy-environment/wp/2016/09/29/warm-oceans-caused-last-years-toxic-blob-and-more-algae-blooms-may-be-in-store/?utm_term=.f3b5769b2e14
https://www.nytimes.com/2015/11/03/science/global-warming-pacific-ocean-el-nino-blob.html?mtrref=www.nytimes.com
https://www.nytimes.com/2017/12/14/climate/climate-extreme-weather-attribution.html

Anúncios

Obsidiana

Obsidiana, também conhecida como pedra-da-bruxa, é um “tipo” de vidro natural com mais de 70% de sílica ( SiO2 ou Óxido de silício, do latim sílice que significa pederneira). Ela é criada quando a lava de um vulcão esfria muito rápido. A cor varia de acordo com a quantidade de elementos químicos diferentes na pedra, como ferro e magnésio. Estes podem fazer a obsidiana ficar mais verde, preta, cinza, marrom, amarelo, azul ou vermelho. Também existem algumas com mais de uma cor, como preto com cinza, denominadas de obsidiana do floco-de-neve e outras ainda mais coloridas chamadas de obsidiana do arco-íris.
Desde as civilizações antigas e inclusive na Idade da Pedra ela é utilizada em rituais, para fazer espelhos, facas, armas e jóias. Hoje em dia são também utilizadas como peças cirúrgicas devido à capacidade de corte.

Curiosidade – terremotos e falhas

terremoto destruidora de São Francisco em 1906 fez com que a Terra se movesse horizontalmente 6,4m em cada lado da falha de San Andreas.
O que são falhas?

Em geologia, uma falha é uma descontinuidade que se forma pela fratura das rochas superficiais da Terra quando as forças tectônicas superam a resistência das rochas.

 

Areia movediça 

Ela ocorre quando uma porção de areia fica tão molhada que, em vez de se comportar como sólido, fica com propriedades de um líquido viscoso.

O que Hollywood mostra, não é o que acontece (óbvio), em uma área com areia movediça a pessoa afunda, mas se parar de se debater ela vai boiar e os bancos de areia movediça não costumam ser muito fundos.

saída de emergência:

  1. Pare de se mexer. Quanto mais se debater, mais se abre caminho para afundar. Puxar as pernas para cima também não ajuda, já que o espaço vazio de baixo dos pés gera um forte secção.
  2. Aumente o contato com a superfície, levantando as pernas lentamente. Quando estiver quase deitado na areia, você se arrasta até o solo firme.

Afundar por completo é quase impossível, mas tem outros motivos que pode fazer alguém morrer: em regiões ribeiras é possível ficar preso até o nível do mar subir, em áreas desertas pode morrer de fome, hipotermia ou longa exposição ao sol.

areia movediça

A água nunca vai acabar (a unica coisa que pode acabar com ela é a burrice)!

A água que você tomou hoje de manhã, já desceu pelo estômago de um dinossauro ou alimentado a banheira de Cleópatra ou a privada de Hitler. Aqui na Terra tem tanto líquido, que até no fogo tem H2O, quando você liga o fogão de casa, a faísca do acendedor quebra as moléculas de gás e isso solta hidrogênio no ar, logo esse hidrogênio se liga a um oxigênio (H2O). Esse ar  da sua cozinha vai direto para a atmosfera , ajudando a formar chuva. Mas não se trata de tanta água assim, claro, só  0,001%. Os 1,3 bilhão de trilhão de litros de água que formam nosso planeta, veio de fora da Terra. O calor das estrelas e o forno das supernovas agitaram os Hs e os Os, formando H2O vaporizado.

Tanto que o sistema Cantareira do Universo conhecido é a galáxia APM08279+5255. Esse corpo celeste com nome de número de telefone consiste basicamente de um buraco negro gigante circundado por uma nuvem de água maior ainda, que não congela por causa do calor. Trata-se de uma nuvem que se condensada, produziria uma quantidade 140 trilhões de vezes maior do que toda a água na Terra. Uma urina feito em Fortaleza (por exemplo), cai no Atlântico  e pega a Corrente Equatorial Norte, com sorte pega viagem até a Europa, via Corrente do Golfo, dependendo de onde a urina evaporar, pode chover em Londres, cai no sistema Lee valley (a Cantareira deles) e pode acabar no copo de cristal da Rainha.

A água tem um cicloA água nunca vai acabar (a unica coisa que pode acabar com ela é a burrice)!

 

 

 

Dizem que a guerra do próximo século vai ser por água doce, isso não faz sentido, já que a água não é um recurso finito.

Petróleo

Há inúmeras teorias sobre o surgimento do petróleo, porém, a mais aceita é que ele surgiu através de restos orgânicos de animais e vegetais depositados no fundo de lagos e mares sofrendo transformações químicas ao longo de milhares de anos. Substância inflamável possui estado físico oleoso e com densidade menor do que a água. Sua composição química é a combinação de moléculas de carbono e hidrogênio (hidrocarbonetos).

O primeiro poço de petróleo foi descoberto nos Estados Unidos– Pensilvânia – no ano de 1859. Ele foi encontrado em uma região de pequena profundidade (21m). Ao contrário das escavações de hoje, que ultrapassam os 6.000 metros. O maior produtor e consumidor mundial são os Estados Unidos; por esta razão, necessitam importar cada vez mais.

Por se tratar de um produto com alto risco de contaminação, o petróleo provoca graves danos ao meio ambiente quando entra em contato com as águas de oceanos e mares ou com a superfície do solo. Vários acidentes ambientais envolvendo vazamento de petróleo (seja de plataformas ou navios cargueiros) já ocorreram nas últimas décadas. Quando ocorre no oceano, as consequências ambientais são drásticas, pois afeta os ecossistemas litorâneos, provocando grande quantidade de mortes entre peixes e outros animais marítimos. Nem sempre as medidas de limpeza conseguem minimizar o problema.

Curiosidade: É comemorado em 29 de setembro o Dia do Petróleo.

Petróleo

É comemorado em 29 de setembro o Dia do Petróleo.

Quantos humanos a Terra seria capaz de suportar?

O  número ideal seria entre 1,5 a 3 bilhões de pessoas. Ou seja a Terra já ultrapassou mais do que  o dobro do limite com 7 bilhões para a humanidade conseguir uma vida sustentável. De acordo com o Fundo de População das Nações Unidas, três fatores devem ser consideradas para o cálculo: disponibilidade de comida, água e terra. De acordo com o autor do livro “A nossa última melhor esperança para um futuro na Terra” tem um paradoxo. Não adianta aumentar a nossa capacidade de comer e manter bilhões de pessoas vivas se cada vez mais pessoas continuarem nascendo. No inicio do século 20 tínhamos 2 bilhões de pessoas, tínhamos vastas florestas, pouca emissão de combustíveis fósseis e comida para todo mundo, ou seja, um planeta sustentável.

Com o avanço da tecnologia e da medicina mais pessoas vivem por mais tempo. Nós consumimos demais, se toda a população comesse como os americanos a Terra não iria suportar e precisaríamos do triplo de recursos existentes atualmente, mesmo assim hoje em dia, já exploramos o dobro do que o planeta oferece.

Obs: Estimasse que em 2025  vai chegar a 8 bilhões, em 2043 9 bilhões e em 2083 10 bilhões

Os Polos Magnéticos estão se enfraquecendo

De acordo com o conjunto de satélites da Agência Espacial Europeia, revelou que o campo magnético esta enfraquecendo 10 vezes mais rápido que se pensava.

É difícil saber como inversão geomagnética impactaria a civilização moderna, mas é pouco provável que provoque um desastre, quando isso acontecer provavelmente já teremos avançado tanto na tecnologia que estaremos pronto para lidar com uma reversão do campo magnético, isso pode ocorrer entre 5 e 20 mil anos.

Como a atmosfera da Terra se formou?

Ela surgiu em um processo que durou pelo menos 4 bilhões de anos e  se formou da mesma matéria que constitui o chão que nós pisamos. Foram vulcões que cuspiram esses elementos. Além da lava e compostos tóxicos, a fumaça vulcânica lançava para o ar nitrogênio, vapor de água e dióxido de carbono. Em excesso, esse ultimo gás pode matar, más naquela época ele serviu como alimento para os primeiros organismos vivos da Terra: bactéricas que faziam fotossíntese, usando dióxido de carbono, luz e água para produzir sua energia. Isso quer dizer que sem o “cocô” dessas bactérias, seres complexos como nós jamais teriam aparecido. Nessa atmosfera primordial, a crosta terrestre estava cheia de elementos que podiam sugar o oxigênio, como compostos de enxofre e ferro. Para que esses minerais ficassem saturados, o gás teve de ser produzido durante 2 bilhões de anos antes de ele se concentrar no ar. Se o dióxido de carbono ficasse   no ar a temperatura da Terra ficaria como Vênus em uma temperatura de 400 graus Celsius e a atmosfera tóxica.